Nina: a re-encounter in Brazil after 10 Christmases in Australia

“For me, Christmas means family. Honestly, I don’t see Christmas as a super special date but it is a time to reunite with the family. I’m from a really small town, so all my brothers and sisters moved out to study and work and Christmas was real time of reunion. This is my recollection. MyContinue reading “Nina: a re-encounter in Brazil after 10 Christmases in Australia”

Nina: um reencontro no Brasil depois de 10 Natais na Austrália

“Pra mim, Natal significa família. Sinceramente, eu não tenho o Natal como uma data super especial mas é um momento de reunir a família. Eu sou de uma cidade super do interior, então todos os meus irmãos saíram pra estudar e trabalhar e era realmente uma época de reencontro. Essa que era a minha lembrança.Continue reading “Nina: um reencontro no Brasil depois de 10 Natais na Austrália”

100 mil mortes por Covid: os corpos que pulamos no caminho e o nosso futuro que é passado

Cem Mil. 100.000. C E M M I L.  A notícia me chega as 2 da manhã no meio de uma insônia repentina. Me atravessa o peito que já previa a desgraça. E mesmo assim me dói como facada apunhalada pelas costas.  Quando foi que o horror tornou-se rotina? Será que foi naquele momento daContinue reading “100 mil mortes por Covid: os corpos que pulamos no caminho e o nosso futuro que é passado”

Las llamadas que he dejado de hacer a mi mamá

Si antes mencioné las llamadas que he empezado a hacer a mi abuela desde el principio de la cuarentena, hoy quiero hablar de las llamadas que he dejado de hacer a mi mamá – por las llamadas que hace a otros.  Calma, lo explicaré.  Mi madre es doctora. Paliativista. Trabaja en un hospital público enContinue reading “Las llamadas que he dejado de hacer a mi mamá”

The calls I’ve stopped making to my mum

If before I wrote about the calls I’ve started making to my grandma since the beginning of the isolation, today I want to talk about the calls I’ve stopped making to my mum – because of the calls she has been giving to others.  Hold on, I’ll explain.  My mother is a doctor. Palliativist. SheContinue reading “The calls I’ve stopped making to my mum”

As ligações que parei de fazer para a minha mãe

Se antes eu comentei sobre as ligações que comecei a fazer para a minha avó desde o início da quarentena, hoje eu quero contar sobre as ligações que eu tenho deixado de fazer para a minha mãe – por causa das ligações que ela tem feito para os outros.  Calma, eu explico.  A minha mãeContinue reading “As ligações que parei de fazer para a minha mãe”

Daniella Reina: “Cuando decides migrar definitivamente, tienes que cerrar todas tus puertas”

“Me quiero ir de Australia. Creo que antes que todo esto pasara, uno veía a Australia como un país de oportunidades y yo veía como ‘sí, me puedo quedar’. Mi pareja es de Estados Unidos, entonces siempre tuvimos la discusión de cuando me graduara si nos quedamos aquí o nos vamos a Estados Unidos. PeroContinue reading “Daniella Reina: “Cuando decides migrar definitivamente, tienes que cerrar todas tus puertas””

Daniella Reina: “When you decide to migrate for good, you have to close all your doors”

“I want to leave Australia. I think that before all this happened, I used to see Australia as a country of opportunity and I saw it as ‘yes, I can stay’. My partner is from the United States, so we always had the discussion of, when I graduated, would we stay here or go toContinue reading “Daniella Reina: “When you decide to migrate for good, you have to close all your doors””

Daniella Reina: “Quando você decide migrar definitivamente, você tem que fechar todas as suas portas”

“Eu quero ir embora da Austrália. Eu acho que antes de tudo isso acontecer, eu via a Austrália como um país de oportunidades e via como ‘sim, eu posso ficar’. Meu namorado é americano e a gente sempre teve essa discussão se a gente ia ficar aqui ou ir pros Estados Unidos quando eu meContinue reading “Daniella Reina: “Quando você decide migrar definitivamente, você tem que fechar todas as suas portas””

Nico Betancur: De Medellín a Sídney

“Me parece que nosotros estudiantes internacionales siempre estamos haciendo algo y llega el coronavirus y dice ‘no puedes hacer nada’. Y el gobierno no te va a ayudar, pero tienes que seguir pagando las cuentas y seguir con la vida, y eso me pareció muy duro,” comenta Nico Betancur, estudiante colombiano en Australia. “Tenemos queContinue reading “Nico Betancur: De Medellín a Sídney”